Seu cérebro agradece a sua saúde auditiva

Notícias

Seu cérebro agradece a sua saúde auditiva

29 Novembro 2017 |

Aqui na Auris estamos sempre falando da importância de se prevenir, cuidar da audição, buscar tratamentos adequados e com isso, garantir a qualidade de vida. Mas, hoje quero ir mais a fundo: ter um problema auditivo é muito mais do que apenas não escutar.

Trouxemos algumas preocupações destacadas pelo pesquisador PhD Brent Edwards que é vice-presidente do departamento de pesquisa da Starkey, no Starkey Hearing Research Center em Berkeley, CA. Segundo ele, você pode ter perdas de memória, dificuldade de aprender e redução da vida social.

Felizmente, os efeitos podem ser corrigidos com bons aparelhos auditivos, mas é preciso um tratamento cuidadoso de adaptação. Tudo isso pode ser evitado se você se prevenir e não se expor a ruídos e barulhos. Veja a seguir porque você precisa cuidar dos seus ouvidos com muita atenção:



Perda audição afeta o aprendizado

Conforme a pesquisa de Edwards, a perda da audição pode afetar a capacidade de aprender e não apenas pela dificuldade em ouvir. É que quem possui o problema, em menor ou maior grau, começa a utilizar outras áreas do cérebro para compreender o que está sendo dito. Já deve ter acontecido com você, de estar conversando com alguém em algum lugar barulhento e para entender melhor o que ela diz, você se vira para olhar pra ela.

 

Você faz isso porque seu cérebro sabe que se utilizar outros conhecimentos e sentidos, como o aprendizado linguístico ou estímulo visual, ficará mais fácil compreender a mensagem. O problema disso é que seu cérebro faz um esforço muito maior para entender e tem mais dificuldade de absorver o conteúdo. Ou seja, afeta sua capacidade de aprender.



Perda da audição afeta a memória

Outra relação da perda auditiva com o cérebro destacada por Edwards é com relação a memória de trabalho, ou seja, essa que utilizamos para lembrar pequenas coisas, como um endereço, um recado ou um acontecimento. Essa memória é também responsável por buscar informações na memória de longo prazo, associando-se assim a compreensão, aprendizagem e raciocínio.  

 

Segundo Edwards, como a memória de trabalho precisa se esforçar mais para interpretar aquilo que está sendo ouvido, sobrará menos recursos disponíveis para realização de outras tarefas, como o armazenamento de informações na memória de longo prazo ou compreensão do que está sendo ouvido, afetando assim a memória como um todo.



4 razões para se preocupar com isso tudo:

Agora você me pergunta: mas se os aparelhos auditivos resolvem estes problemas, porque eu devo me preocupar?

Primeiro porque não existem pesquisas científicas suficientes que provam que os aparelhos auditivos reduzem a sobrecarga de determinadas áreas do cérebro causada pela perda da audição.

Segundo porque a adaptação não é tão simples e a maioria das pessoas desiste antes de obter um resultado realmente satisfatório. Com um aparelho mal adaptado, você está suscetível a ter todos os problemas mencionados acima.

Em terceiro lugar, entender que a perda da audição também causa estes problemas pode ajudar você ou alguém que você conheça a procurar o tratamento adequado. Idosos podem ser diagnosticados com perda cognitiva e crianças com déficit de atenção, quando na verdade estão com perda de audição.

E em quarto lugar, saber disso tudo é um motivo a mais para que você não se exponha ao som alto e se cuide. Além disso, não deixe de orientar as pessoas que você conhece sobre os problemas, elas tendo dificuldades auditivas ou não.

 

Viu só como é importante cuidar dos ouvidos?

Talvez você queira saber mais sobre o zumbido. Clique aqui.